Buscar

O tamanho dos pés das crianças corresponde ao tamanho dos calçados que usam?

WILBORN, Juliana1; CUNHA, Beatriz1; BOEIRA, Denise1 e WÜST, Eduardo1

1. Instituto Brasileiro de Tecnologia do Couro, Calçado e Artefatos (IBTeC)

RESUMO: Este estudo tem como objetivo realizar a análise antropométrica dos pés das crianças de 3, 7 e 11 anos de idade, de ambos os gêneros, para verificar se o comprimento dos pés das crianças corresponde com a numeração dos calçados que as mesmas estavam utilizando no momento da coleta. Foi utilizado scanner para dimensionar o cumprimento dos pés dos 40 estudantes de uma escola da rede privada localizada na região metropolitana de Porto Alegre/ RS. Através dos resultados observa-se que existe uma tendência em utilizar uma ou até duas numerações acima da numeração que seria ideal para o calçado de acordo com o comprimento dos pés.


PALAVRAS-CHAVE: tamanho do pé infantil, tamanho do calçado, antropometria


ABSTRACT: This study aims to perform an anthropometric analysis of the feet of three, seven and eleven years old children, for both genders, to verify if the length of the children’s feet corresponds to the shoe size they were using at the time of data acquisition. A device that scans the feet was used to measure the length of the feet of 40 students from a private school, located in the metropolitan region of Porto Alegre - RS. Through the results, it is observed that there is a tendency to use one or even two numbers above the number that would be ideal for shoes according to the length of the feet.


INTRODUÇÃO

O calçado tem uma influência direta muito importante no desenvolvimento dos pés das crianças, tendo como objetivo essencial proteger o pé e auxiliar na sua função, além de fornecer um bom ajuste (JANISSE 1992; XIONG et. al. 2009). Neste quesito, Xiong (2009) reforça que existe uma relação direta entre o ajuste adequado do calçado e os níveis de conforto. No entanto, o ajuste adequado só é alcançado quando as dimensões internas do calçado forem semelhantes ao formato do pé (JANISSE,1992).


Os pés, segundo Mauch (2011), são estruturas complexas utilizadas para locomoção que apresentam grande adaptabilidade a fatores internos e externos, principalmente em idades precoces. Quando se trata de crianças, um bom calce torna-se mais importante ainda pela possibilidade de influenciar e comprometer o adequado desenvolvimento dos pés.


Acompanhar o crescimento dos pés das crianças e trocar o calçado no momento certo não é uma tarefa fácil para a maioria dos pais e responsáveis, no entanto, é de grande importância e exige muita cautela. Neste sentido, Doi et. al. (2010) reforçam que calçados que são pequenos afetam as características espaço-temporais da marcha, impedindo o correto desenvolvimento físico e ainda geram desconforto. Por outro lado, Kobayashi et. al. (2015) afirmam que calçados que são grandes no pé também aumentam significativamente os parâmetros espaço-temporais da marcha e a cinemática conjunta.


De acordo com Berwanger (2011), quando se desenvolve um calçado deve-se considerar os critérios ergonômicos, as funções estéticas bem como as funções técnicas. Dessa maneira um calçado só apresentará qualidades ergonômicas e biomecânicas se for desenvolvido com bases anatômicas obtidas através dos estudos antropométricos que correspondam ao perfil do mercado e ao público ao qual o calçado se destina.


Os problemas nos pés de um adulto podem ter origem na infância. Observando-se com atenção o ajuste (calce) do calçado desde criança podemos minimizar o risco de futuros problemas. A atenção para a troca periódica dos calçados, a adequação do tamanho dos pés e a numeração dos calçados é fundamental para o conforto e saúde dos mesmos. Um estudo mostra que 98% dos bebês nascem com pés saudáveis, mas 60% dos adultos têm vários graus de problemas de saúde, e até 12% dos adultos precisam de tratamento para os pés (Kinzet al, 2015). É importante optar por calçados que permitam o crescimento dos pés, caso contrário, haverá o surgimento de desconforto, dor, calos e deformidades nos pés. (Wegener, 2011).


A escolha de calçados adequados nem sempre é fácil, visto que as crianças menores tendem a flexionar os dedos no momento de provar o calçado, dificultando a confirmação da acomodação do pé e, por sua vez, crianças maiores podem tender a colocar a moda à frente da funcionalidade, optando por calçados que gostam mais em detrimento daqueles que seriam os mais adequados. Outra questão é o acelerado crescimento dos pés das crianças, fator que pode induzir os pais a escolherem calçados de numeração maior, de modo que durem mais tempo. Diante destes fatores expostos, considera-se relevante a realização desta pesquisa.


METODOLOGIA

Participaram deste estudo 40 crianças do gênero masculino e feminino com 3, 7 e 11 anos de idade, de uma escola privada da cidade de Novo Hamburgo - região metropolitana do RS, onde os pais foram previamente informados sobre a pesquisa e após assinatura de um termo de consentimento foi autorizada a participação de cada criança no estudo.


O método da amostragem utilizado foi o modelo não-probabilístico do tipo intencional. Como critério de inclusão foram coletados os dados das crianças que apresentavam a idade correspondente ao proposto nesta pesquisa (3, 7 e 11 anos), superfície da pele íntegra, sem queixas de dores e deformidades em membros inferiores e sem história de trauma nos pés nos últimos 6 meses.


Os participantes foram inicialmente submetidos a um protocolo de avaliação que compreendia as seguintes informações: identificação (nome, idade, gênero), e posteriormente foram colocados, em cada pé, cinco marcadores em pontos anatômicos predefinidos, para identificação e mensuração no scanner, conforme Figura 1 (a e b).


O comprimento dos pés, direito e esquerdo foi verificado através de um equipamento de escaneamento 3D INFOOT, que é um sistema tridimensional dos pés, baseado em scanner ótico a laser. O sistema realiza a varredura do formato do pé através dos marcadores, realizando assim a medição das dimensões do pé por meio de uma imagem computacional e detalhada do mesmo.


As crianças ficaram com o peso corporal uniformemente distribuído em ambos os pés, com um dos pés no interior do aparelho (Figura 1c). O número correspondente ao calçado foi verificado diretamente na região inferior do solado, no calçado que a criança estava utilizando naquele momento, conforme a Figura 2.


Para a determinação da medida dos pés das crianças (comprimento) utilizou-se o Sistema Francês (Ponto de Paris) para a progressão de um comprimento para outro, ou seja, o intervalo de 6,66mm entre uma numeração para outra.


RESULTADOS

De acordo com o gráfico 1, 50% das crianças de 3 anos utilizavam dois números acima do que seria o comprimento ideal para sua numeração do calçado. Outras 30% utilizavam uma numeração acima do ideal e 20% estavam utilizando a numeração ideal para o tamanho dos seus pés. Nesta faixa etária pode haver pouca compreensão da acomodação do pé no interior do calçado o que pode induzir os pais ao erro na escolha do tamanho ideal.


Quando observamos esta relação nas crianças de 7 anos (Gráfico 2), percebe-se que a proporção de crianças que utilizam um e dois números acima da numeração ideal é de 30% e 10% das crianças utilizam calçado com dimensões menores do que o tamanho dos seus pés, comprometendo o desenvolvimento saudável dos pés. A porcentagem das crianças que estavam utilizando a numeração ideal para o tamanho dos seus pés foi semelhante à encontrada na idade de 3 anos, ou seja 20%.

Nas crianças com 11 anos observou-se que 50% utilizam um número acima do ideal para o comprimento dos pés. A proporção de 10% foi encontrada em duas situações, dois números acima e com dimensões menores. A porcentagem de crianças que estavam utilizando a numeração ideal para o tamanho dos seus pés, agora 30%, foi maior em relação às crianças de 7 anos, o que pode ser indicativo de uma melhor percepção do corpo como um todo.


CONCLUSÃO

No setor calçadista existem muitas diferenças entre as empresas em vários quesitos, tais como tamanhos de fôrma, processo produtivo, materiais e componentes utilizados. As dimensões das fôrmas não têm uma padronização nacional e o desconhecimento de como os pés das crianças crescem, contribuem para este cenário de divergência entre a numeração do calçado e o tamanho dos pés das crianças.


O valor do calçado infantil no mercado e a falta de perfis intermediários das numerações pode ter contribuído para a escolha dos pais por comprarem uma numeração maior de calçado.


Acredita-se que seja necessário um estudo que contemple idades com intervalos menores, a partir do qual seria possível acompanhar o crescimento dos pés das crianças ano após ano, contemplando também outras dimensões dos pés como por exemplo, a circunferência.


BIBLIOGRAFIA

1. BERWANGER, E. G. Antropometria do pé em diferentes culturas de salto como fundamento para conforto de calçados. Dissertação de Mestrado, Porto Alegre-Universidade do RG, 2011.2. DOI, T., Yamaguchi, R., Asai, T., Komatsu, M., Makiura, D., Shimamura, M., Kurosaka, M. (2010). The effects of shoe fit on gait in community-dwelling older adults. Gait and Posture, 32(2), 274–278. doi:10.1016/ j.gaitpost.2010.05.0123. JANISSE, D. J. 1992. “The Art and Science of Fitting Shoes.” Foot & Ankle 13 (5): 257– 262.4. KOBAYASHI, Y., Akimoto, M., Imaizumi, K., Hobara, H., Kouchi, M., & Mochimaru, M. (2015). How too big shoes affect to the joint kinematics of kids gait pattern?. Footwear Science, 7(sup1), S53–S55. doi:10.1080/ 19424280.2015.1038604.5. MAUCH, M. 2011. “From Laboratory to an In-Store Concept! An Exemplary Methodology to Combine Footwear Science and Shoe Design in Kids’ Feet!” Footwear Science 3 (Suppl. 1): S103–S104. doi:10.1080/194 24280.2011.575849.6. W Kinz, E Groll-Knapp, C Klein. (2015). Kinder in zu kurzen Schuhen, Paediatr Paedolog, 50(3), 106-109. https://doi.org/10.1007/s00608-015-0243-x.7. WEGENER, C., Hunt, A.E., Vanwanseele, B. et al. Effect of children’s shoes on gait: a systematic review and meta-analysis. J Foot Ankle Res 4, 3 (2011). https://doi.org/10.1186/1757-1146-4-3.8. XIONG, S., R. S. Goonetilleke, J. Zhao, W. Li, and C. P. Witana. 2009. “Foot Deformations under Different Load-Bearing Conditions and Their Relationships to Stature and Body Weight.” Anthropological Science 117 (2): 77 - 88. doi:10.1537/ase.070915.