Buscar

Startup RS Shoes/ IBTeCHDAY



O IBTeCHDAY neste ano teve uma reformulação no seu formato. Ao invés da tradicional maratona tecnológica que se encerra no último dia da Semana do Calçado, o evento, em formato de workshop online, foi integrado ao programa Startup RS Shoes, do Sebrae, cujos desdobramentos seguem ainda por um período adicional para a premiação dos vencedores. Nesta etapa realizada no dia 7 de outubro, o objetivo foi entender os desdobramentos, princípios, técnicas e ferramentas do processo de design visando a ampliar as possibilidades de criação de valor para a construção de ações que possam impactar positivamente nos projetos de inovação dos negócios. A apresentação foi realizada pelo consultor do Sebrae, Lucas César, que protagonizou vários momentos de trocas de experiências entre os participantes, com exercícios e apresentações de casos vivenciados.


Inovação Centrada no Cliente

*Lucas César


“As empresas, assim como as pessoas, estão aculturadas à repetição e são constituídas por uma série de hábitos, que podem ser chamados de práticas, rotinas, processos e são uma necessidade no mundo dos negócios. O hábito parte de uma escolha que passa a ser realizada e depois de algum tempo, devido à repetição, torna-se sistemático, sendo realizado sem que precisemos pensar sobre como agir. Nós nos tornamos tão confiantes acerca das ações repetitivas que perdemos possíveis receios que temos quando somos iniciantes. Por isso é muito importante cultivar sempre o olhar de principiante para que não entremos na chamada zona de conforto. É preciso pensar permanentemente em novas perspectivas para o nosso olhar.”


Os participantes expuseram casos em que experiências entre fornecedor e cliente não foram bem-sucedidas e foram motivados a pensar se as causas desses problemas talvez poderiam estar associadas a negligências e, sendo assim, proporem alguma solução.


Lucas comentou o fato de que um hábito que era considerado eficiente no passado nem sempre continua como algo desejável no futuro. “As empresas devem estar permanentemente orientadas para o cliente, e para que o seu público-alvo tenha experiências sempre positivas com seu produto, serviço ou marca é necessário proatividade e eficiência. Mas isso não significa satisfazer todas as vontades da clientela e sim encontrar soluções mais eficientes para as suas necessidades. Entre os desafios para as empresas é preciso estabelecer uma linguagem adequada para cada canal de comunicação, mantendo a coerência na linha editorial”.


Ao afirmar que a inovação está em todos os processos e não somente na experiência do uso, e que os processos de inovação iniciam colocando o cliente no centro, o painelista ressaltou que é preciso ter empatia e buscar inspiração no cliente, se colocando no lugar dele. “Os próximos passos são buscar padrões e similaridades, olhando também para os comportamentos fora da curva e descobrir a melhor forma de se conectar de fato com o seu cliente.”


Em um dos exercícios, ele apresentou um Mapa da Inovação com propostas de melhorias a partir das observações dos clientes. Também lembrou que para implantar uma inovação é necessário que ela tenha algumas características, como ser minimamente viável e representar uma proposta de valor para o mercado, por exemplo.


“Inovar não é ganhar eficiência, mas estabelecer um novo olhar, com uma visão ampla e sistêmica, percebendo também as sutilezas de forma a trazer o cliente para o centro da decisão.”