top of page
Buscar

50 anos Promovendo a capacitação da indústria


Por Luís Vieira/Melissa Zambrano



Criado para apoiar as empresas na busca pela melhoria da qualidade dos calçados nacionais, visando a conquista do mercado internacional, o Instituto Brasileiro de Tecnologia do Couro, Calçado e Artefatos (IBTeC) se tornou uma referência em pesquisa, inovação e sustentabilidade, com reconhecimento pela excelência na prestação de serviços.


Contando com mais de 116 colaboradores, que formam um corpo técnico de alta qualifiação, sendo que a maioria dos profissionais possuem graduação universitária, pós-graduação, mestrado ou doutorado, hoje, o parque tecnológico do instituto disponibiliza ao mercado um dos mais completos laboratórios para atender as demandas da indústria calçadista e seus componentes.


“Ante o crescimento e os novos investimentos realizados - principalmente na última década -, outros setores passaram a ser atendidos ou entraram no foco de atendimento. Somos também pioneiros no desenvolvimento da tecnologia de conforto em calçados e na testagem e certificação de produtos voltados ao público 60+; referência em análises microbiológicas, ensaios biomecânicos, testes físico-mecânicos, estudos e testes em substâncias restritas e em consultorias industriais, realizando 80 mil atendimentos ao ano. Na última década, o IBTeC investiu R$ 20 milhões, sendo que deste valor, R$ 5 milhões foram realizados nos últimos dois anos”, pontua o presidente executivo Paulo Griebeler.


A criação do instituto, passo a passo


No final dos anos de 1960, o mercado externo começou a ser percebido como uma oportunidade de negócios para as indústrias calçadistas brasileiras. Mas existiam dois fatores primordiais para que os primeiros embarques fossem realizados - capacidade em volume de produção e alta qualidade nos produtos. Tais exigências não intimidaram os empresários nacionais, mas eles sentiram a necessidade de agregar técnicas mais modernas para os processos nas indústrias, tendo como exemplo de eficiência e qualidade o modelo de fabricação da Europa. No dia 7 de outubro de 1972, foi então fundado o Instituto Brasileiro do Couro, Calçado e Afins (IBCCA) como um núcleo do Sistema Fiergs, tendo o empresário Cláudio Strassburger como o primeiro presidente nomeado.


No início a sede estava estabelecida na cidade de Estância Velha/RS, junto da Escola Técnica de Curtimento. Mais tarde, para estar mais próxima das empresas, se transferiu para o prédio da Associação Comercial Industrial de Novo Hamburgo/RS.


Em 1976, o nome foi mudado para Centro Tecnológico do Couro, Calçados e Afins (CTCCA), que passa a ser uma entidade independente. Em 1984, o Centro mudou novamente o endereço da sua sede, passando a atender seus associados e demais empresas na rua Araxá, 750 - no bairro Ideal, em Novo Hamburgo/RS, onde funciona até hoje.


Três frentes de atuação foram estabelecidas


O CTCCA foi estruturado para atuar em três frentes:


1) o departamento técnico era responsável pela busca de informações sobre novos equipamentos e processos e apoiava as empresas associadas fazendo adequações em sua estrutura operacional, para garantir ganhos de competitividade;


2) o laboratório da qualidade passa a realizar ensaios físicos e químicos nos calçados e nas matérias-primas, fornecendo laudos técnicos como garantia da qualidade dos produtos brasileiros;


3) a Revista Tecnicouro, criada em 1979, se tornou o veículo responsável pela disseminação de informações para atualizar os empresários e técnicos do setor sobre o que de mais importante acontecia no mundo em termos de novidades tecnológicas e sistemas de fabricação.


CTCCA muda o nome para IBTeC


IBTeC convoca Associados para a validação do novo estatuto


A necessidade de ampliar o reconhecimento junto a organismos nacionais e internacionais fez com que o centro tecnológico mudasse a sua razão social mais uma vez. Assim, em dezembro de 2005, foi apresentada a nova marca - InstitutBrasileiro de Tecnologia do Couro, Calçado e Artefatos (IBTeC), levando a instituição de volta às origens - ser novamente reconhecido como um instituto -, porém agora alinhado com um novo posicionamento no mercado, condizendo com as exigências do século XXI e com os olhos voltados para o futuro.


ACREDITAÇÕES - O instituto é acreditado internacionalmente pelo instituto inglês Satra e pela agência de importacão CPSC dos Estados Unidos. É ainda acreditado pela Coordenação Geral de Acreditação (CGCRE) do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) e conta com as certificações BSI (ISO 9001:2015) e Rede Metrológica RS, bem como o reconhecimento junto ao Ministério do Trabalho e Previdência (MTP).


Mudança no estatuto

Presidência e Conselheiros da primeira gestão sob o novo estatuto


Em 2012, quando completou 40 anos de fundação, o IBTeC alterou o seu estatuto, buscando fortalecer ainda mais a representatividade dos associados. A estratégia se concretizou com a eleição do Conselho Deliberativo, tendo Claudio Chies na presidência, que na época enfatizou que os maiores desafios da instituição seriam manter o alto padrão técnico conquistado ao longo da trajetória agregando novos serviços, sustentar a boa imagem já conquistada pela instituição junto ao mercado e aproximar o IBTeC da cadeia produtiva do calçado.


O início da gestão profissionalizada


O mandato do presidente executivo Paulo Griebeler e do vice-presidente executivo, Dr. Valdir Soldi, teve início no dia 1º de janeiro de 2013 e a partir de então a atual gestão busca não apenas aperfeiçoar o que já vinha dando certo, mas propor novos caminhos e novas soluções para as necessidades do mercado, tendo como propósito ser uma instituição sustentável, que promova o desenvolvimento das empresas e o bem-estar das pessoas.


O parque tecnológico oferece completa infraestrutura para análises laboratoriais


1- Laboratório Físico-Mecânico - Presta serviços em segmentos como: calçados e componentes, EPIs (calçados, luvas e vestimentas), couro, têxteis e demais materiais a fim de assegurar a qualidade e a performance dos materiais.


2- Laboratório de Segurança - Realiza ensaios para a obtenção e renovação de Certificado de Aprovação (CA) do Ministério do Trabalho e Previdência (MTP) para o segmento de EPIs calçados (incluindo bombeiros), luvas (proteção mecânica, térmica, química e cirúrgica) e vestimentas (proteção mecânica, térmica e química), auxiliando ainda as empresas com pesquisa para desenvolvimento e aprimoramento de produtos.


3- Laboratório de Microbiologia - Faz a avaliação de materiais e produtos quanto ao tratamento contra fungos e bactérias, odores, biodegradabilidade e impacto ambiental.


4- Laboratório Químico e de Substâncias Restritas - Equipado com alta tecnologia e expertise técnico, oferece apoio às empresas inovadoras que buscam adequar seus produtos aos padrões internacionais de controle de substâncias químico restritas, que podem causar danos à saúde e ao meio ambiente.


5- Laboratório de Biomecânica - Trabalha no desenvolvimento e avaliação de calçados e componentes que agregam atributos como conforto, performance, saúde e segurança para os pés dos consumidores.


Núcleo de Inovação Tecnológica

O NIT-IBTeC é um agente catalizador do ecossistema de inovação do setor calçadista, o qual estabelece termos de cooperação com os principais parques tecnológicos regionais, tendo englobado mais de 750 startups, além de sua ampla rede de parceiros para aplicação/validação de tecnologias. É responsável ainda por disseminar nas empresas a cultura de inovação, realizar treinamentos, capacitar e orientar as lideranças e colaboradores, com práticas voltadas à inovação.


O instituto também instituiu o seu próprio Sistema de Gestão da Inovação (SGI). Uma plataforma pública de projetos inovadores. Com a criação do Canal de Ideias, as empresas podem registrar suas demandas de inovação em produtos ou serviços. A ferramenta permite o acompanhamento em tempo real de cada passo do projeto e a interação entre a empresa e a equipe do IBTeC.


Para participar do SGI, basta fazer login no site www.ibtec.org.br, registrando a demanda. Na sequência, a equipe do Núcleo de Inovação Tecnológica (NIT) buscará formas de viabilizar a ideia, desde a pesquisa de tecnologias de apoio, passando por busca de fornecedores e de recursos para o financiamento das inovações. Uma das vantagens do sistema é a agilidade do processo, que trabalha a partir da união de empresas que já têm soluções prontas, que agregadas podem gerar um novo produto ou processo.


Apoio técnico para a indústria

A área de consultoria técnica para as empresas desenvolve um amplo trabalho que abrange a organização do leiaute da empresa, passando por todos os estágios da produção, de forma a otimizar os resultados através do ajuste dos processos. Também auxilia na implantação de metodologias de trabalho e programação de produção, visando a diminuição de perdas e o aumento da produtividade. Os técnicos fazem uma verdadeira imersão nas organizações e, em conjunto com a equipe interna, identificam os gargalos, elaboram o diagnóstico da situação operacional e encaminham sugestões de melhorias nos produtos e processos, que impactam positivamente sobre a produtividade da organização contratante do serviço.


Projetos em feira são destaque


Hoje, estão em funcionamento dois projetos que acontecem regularmente nas feiras setoriais - a Fábrica Conceito, que é montada desde 2010, em parceria com a Fenac e a Coelho Assessoria, na maior feira de máquinas e componentes do ocidente (Fimec), em Novo Hamburgo/RS, e a Fábrica Modelo de Segurança, que acontece a cada dois anos na Fisp, em São Paulo/SP. Nesses espaços são demonstradas as principais etapas na montagem de calçados, além de apresentar ao público visitante o funcionamento de máquinas e equipamentos e a aplicabilidade de materiais.


VIÉS SOCIAL - Além da preocupação em demonstrar soluções voltadas à preservação do meio ambiente, os projetos enfatizam o compromisso social do instituto, através da seleção de profissionais que se encontram fora do mercado de trabalho, para que eles tenham a oportunidade de demonstrar aos empresários visitantes a sua qualificação, aumentando assim as chances de admissão. Outra ação é a doação realizada a instituições de assistência social de parte dos calçados fabricados nas feiras.


Aliança para apoiar as empresas


O IBTeC tem como uma das suas prioridades fortalecer e ampliar as alianças com as agências de fomento, as universidades, os parques tecnológicos, bem como com as entidades setoriais, para melhorar sempre mais a qualidade e a agilidade no atendimento às demandas do setor. Outra forma de aprimorar a prestação de serviços é fazer parte dos sistemas criados para identifi car gargalos e oportunidades, bem como habilitar as empresas ao aumento da sua competitividade.


Desde 2015, o instituto integra o Conselho Estadual de Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul, que tem como objetivo instituir mecanismos de coordenação e planejamento das atividades do setor, contribuindo para a definição dos novos conceitos em termos de inovação, empreendedorismo, ciência e tecnologia. O IBTeC representa todo o sistema coureiro-calçadista no RS.


Também integra o Commoda - Comitê da Cadeia Produtiva da Moda coordenado pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) para discutir juntamente com outras entidades setoriais questões pertinentes ao segmento, e é membro do Conselho da Fenac - Experiências Conectam, um dos maiores centros de eventos de toda a América Latina.


Parcerias com agências de fomento


Na sua missão de estimular o aumento da competitividade das empresas, o IBTeC estabelece uma série de parcerias com instituições que facilitam o acesso aos recursos necessários disponíveis.


ABDI

A Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial tem a missão de promover a execução da Política Industrial do Brasil, em consonância com as políticas do Comércio Exterior e de Ciência e Tecnologia. Projetos voltados para a certificação de conforto do calçado brasileiro e calçados de segurança já foram encaminhados pelo IBTeC à agência.


CNPq

O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) é destinado ao fomento da pesquisa científica e tecnológica e à formação de recursos humanos para a pesquisa no País. Financia através de editais o desenvolvimento científico e tecnológico do Brasil. O IBTeC participa dos editais aplicáveis no sistema coureiro-calçadista. Dentre os projetos com o apoio do conselho, podemos citar o Simpósio Brasileiro de Biomecânica do Calçado (SBBC), o Laboratório de Biomecânica do Insti- tuto e o Laboratório para Análises de Substâncias Restritivas.


Fapergs

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul (Fapergs) tem a finalidade de fomentar a pesquisa em todas as áreas do conhecimento. É sua atribuição promover a inovação tecnológica do setor produtivo, o intercâmbio e a divulgação científica, tecnológica e cultural; estimular a formação de recursos humanos, o fortalecimento e a expansão da infraestrutura de pesquisa no Estado. Dentre os projetos apoiados pela fundação, um dos mais importantes foi o de 2011 para a implantação do Laboratório de Microbiologia.


Finep

O IBTeC participa de todos os editais abertos à participação de empresas e/ou entidades do sistema coureiro-calçadista, seja com projetos próprios ou com a participação da iniciativa privada. A Finep é uma agência pública que cria oportunidades para as empresas investirem em pesquisas para melhorar sua estrutura, produtos ou processos e já contemplou alguns projetos com autoria ou participação do IBTeC, a exemplo disso, o Laboratório de Substâncias Restritivas.


Sebrae

Uma parceria que tem crescido muito nos últimos anos é a estabelecida com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). O objetivo é viabilizar o acesso a serviços que fazem diferença para os negócios de micro e pequeno porte que buscam alcançar maior competitividade no segmento do couro e calçado, tais como consultorias para implantar melhorias em produtos e processos ou a realização de testes para a caracterização dos calçados e seus componentes. Um dos mais recentes trabalhos em conjunto foi a capacitação da cadeia de fornecedores do sistema coureiro-calçadista para a gestão das substâncias restritas.


Agenda voltada para a disseminação do conhecimento


Um dos instrumentos usados pelo IBTeC para a disseminação e capacitação de empresas e profissionais é a realização de eventos. E a agenda anual do instituto oferece várias opções de atualização durante o ano todo.


SBBC

Realizado bianualmente desde 2002, o Simpósio Brasileiro de Biomecânica do Calçado se trata de um ciclo de painéis de conteúdo técnico-científi co, com a participação dos maiores nomes da Biomecânica em nível mundial. Direcionado a empresários e profissionais que atuam em áreas como engenharia de calçados, controle da qualidade, P&D, design e marketing, o evento divulga estudos realizados por pesquisadores, em parceria com empresas e instituições internacionais. A tecnologia voltada ao conforto nos calçados é tema central, com a disseminação de informações que possibilitem às empresas agregarem valor aos seus produtos.


Semana do Calçado


Durante cinco dias, são realizadas várias ações por meio de um esforço conjunto das entidades governamentais, entidades de classe, ICTs, setor produtivo, cadeia de fornecimento e empresas de base tecnológica, com foco na discussão, oxigenação, geração de inovação e difusão de novas tecnologias. Ao IBTeC cabe realizar dois eventos: o IBTEcH DAY e o Fórum IBTeC de Inovação.


IBTeCHDAY

O objetivo é potencializar a geração de produtos, processos e serviços inovadores, através de uma maratona de desafios tecnológicos, submetidos por empresas do setor. Desse modo, visa a integração do setor com as empresas de base tecnológica incubadas nos principais parques tecnológicos, startups, escolas técnicas e pesquisadores.


Fórum IBTeC de Inovação

Criado para disseminar o conceito de inovação através de palestras e debates, agregando novos conhecimentos, perspectivas e inspirando os setores envolvidos, a fim de promover a inovação como um diferencial competitivo para as empresas.



Happy Hour com Tecnologia

Visa a promover o acesso ao conhecimento, por meio de debate acerca de temas relacionados a novas tecnologias, inovações e sustentabilidade em processos, produtos ou serviços. A cada mês, painelistas apresentam casos aos convidados, tendo a inovação tecnológica como foco.


Preocupação socioambiental


A sustentabilidade sempre norteou as ações do IBTeC, que busca deixar um legado positivo quanto a sua existência na comunidade e no planeta. A valorização das pessoas e a preservação da natureza fazem parte desse propósito e servem de norte para uma série de atividades como:

- Ponto de descarte de lixo eletrônico

- Separação adequada dos resíduos

- Oferecimento de copinhos biodegradáveis para uso nas máquinas de café

- Incentivo do uso de canecas permanentes para o consumo de água, chá ou café

- Doação de calçados para entidades de assistência social

- Adoção de espaços públicos para deixar a cidade mais humanizada

- Apadrinhamento da Horta Comunitária

- Coleta e doação de tampinhas plásticas para a entidade Amo Criança

- Campanha e ponto permanente para coleta e doação de alimentos e roupas

- Durante a Mostratec o instituto premia um projeto expositor com passagens para dois participantes irem ao Campus Party


Benefícios aos funcionários


Os funcionários do IBTeC ao serem admitidos passam a ter uma série de benefícios:

- Auxílio educação

- Convênio médico

- Convênio odontológico

- Convênio farmácia

- Auxílio língua estrangeira

- Reembolso creche

- Vale transporte

- Alimentação

- Auxílio psicológico

- Auxílio treinamentos

- Em 2022 foi criado também o oferecimento de combos com entradas para cinema, refrigerante e pipoca para cada funcionário no dia de seu aniversário


Tecnicouro divulga o conhecimento gerado em todo o sistema


Desde 1979 anos, o IBTeC edita a Revista Tecnicouro. Com circulação nacional, a principal publicação técnica do setor calçadista impressa tem tiragem bimestral, além de realizar cadernos especiais que circulam em feiras do setor de EPIs.


Em suas seis edições anuais, a revista oportuniza aos leitores o acesso a artigos técnicos, científicos, reportagens especiais, apresenta tendências de mercado, divulga feiras e eventos do setor, além de ser um importante canal de comunicação entre as empresas anunciantes e seus clientes e para o próprio IBTeC contatar o seu público-alvo.


Prova de que este reconhecimento não se trata apenas de retórica, é a conclusão de uma pesquisa de opinião pública encomendada pelo IBTeC - realizada por empresa independente e especializada. Os resultados destacam a credibilidade da publicação, a pluralidade do conteúdo e a utilidade das informações veiculadas. O nível cultural e a qualificação técnica dos leitores que avaliaram a publicação valorizam ainda mais o resultado positivo da pesquisa. Dentre os respondentes, 71,3% possuem graduação superior, especialização, mestrado ou doutorado. Técnicos ou tecnólogos correspondem a 27,7%, enquanto 0,9% têm nível de ensino fundamental. A faixa de idade varia de 18 até 61 anos, sendo que 69% correspondem ao sexo masculino.


Premiações


Outra comprovação da alta relevância do conteúdo publicado na Tecnicouro é o reconhecimento do mercado, e que tem se materializado nos últimos anos através de premiações nacionais e internacionais. A revista já teve nove reportagens agraciadas pelo Prêmio Primus Inter Pares Assintecal/Braskem, categoria Imprensa, (2002, 2010, 2011, 2012, 2013, 2015, 2016, 2018 e 2022). Em 2015, também recebeu o prêmio Direções Abicalçados na categoria Jornalista. Além desses, conquistou em 2012 a terceira colocação do Prêmio ISWA de Jornalismo, organizado pela International Solid Waste Association, de Viena/Áustria, com uma matéria sobre a sustentabilidade ambiental no setor.


Conselhos têm um papel fundamental na gestão do instituto


Nesse novo modelo de gestão profissionalizada adotado pelo IBTeC a partir de 2013, os conselheiros têm um papel fundamental para a instituição. O Conselho Deliberativo é o órgão de decisão e orientação superior do IBTeC, lhe cabendo essencialmente fixar os objetivos e políticas adequadas, e sua ação se exerce pelo estabelecimento de diretrizes fundamentais e normas gerais de organização, operação e administração. Já o papel do Conselho Fiscal é fiscalizador, independente da diretoria e administração, e busca, através dos princípios da transparência, equidade e prestação de contas, contribuir para o melhor desempenho da organização.


É um trabalho voluntário, realizado por pessoas que são convidadas em virtude da conduta exemplar e pela relevância no setor como profissionais e empresários, com comprovada capacidade para assumir as responsabilidades atribuídas à função de conselheiro.


Composição do Conselho Deliberativo


Presidente: Claudio Chies - Grendene

Ernani Reuter Representações e Participações Excelsior

Jakson Fernando Wirth - Ramarim

João Altair dos Santos - Conforto Artefatos de Couro

Rosnei Alfredo da Silva - Calçados Bibi

André da Rocha - Master Equipamentos Industriais

Carlos Alberto Mestriner - Klin

Darcio Klaus - Arezzo

José Geraldo Brasil - JGB Equipamentos de Segurança

Renato Raimundo -Stick Fran


Composição do Conselho Fiscal


Ademir Gomes Gonçalves - Indústria de Calçados Gonçalves

Paulo Roberto dos Reis - Crespi do Brasil

Ricardo Wirth - Calçados Wirth

Jorge Ricardo Klein - NKS Importações e Exportações

Marco Augusto Bombonato - Bompel Indústria de Calçados

Milton José de Mello -Formello Formas


Os presidentes que conduziram o IBTeC



Depoimento do Presidente Executivo do IBTeC


Neste 7 de outubro em que comemoramos os 50 anos de fundação do IBTeC, reverenciamos as pessoas que contribuíram para a história desta instituição que ao longo de cinco décadas tem mantido seu protagonismo como ponto de apoio a todo o setor empresarial, seja como prestadora de serviços de certificação da qualidade de produtos, seja como instituto de pesquisa que busca inovação em tecnologias e processos, contribuindo de forma decisiva em todos os avanços no setor industrial. Nossa homenagem a todos que ajudaram a construir esta história de sucesso, nossos conselhei- ros, parceiros, clientes, associados e todos os colaboradores que participaram da construção do IBTeC do futuro.


Ao mesmo tempo que nos reportamos ao passado, fazemos um exercício de visão do futuro. Nossa meta é duplicar o faturamento da instituição até 2030. Para isto temos feito investimentos permanentes na modernização do nosso parque tecnológico, somando em torno de R$ 20 milhões nos últimos dez anos. Somente entre 2021 e 2022 estamos alcançando a cifra de R$ 5 milhões em investimentos. Os laboratórios de substâncias restritas e segurança são as áreas que receberam os maiores aportes.


Falando de resultados, deveremos encerrar o ano de 2022 com incremento de 20% sobre o ano de 2021. Temos os laboratórios da qualidade, de substâncias restritas e de microbiologia que auxiliam na certificação da qualidade de produtos e atendimento às exigências internacionais quanto ao uso de substâncias químicas. Contamos ainda com os laboratórios de biomecânica, que auxiliam fabricantes de calçados e de segurança no desenvolvimento de tecnologias de conforto e bem-estar.


Para estabelecer uma colaboração permanente com a pesquisa e desenvolvimento de inovações para os setores que atende, o IBTeC criou há cinco anos o Núcleo de Inovação Tecnológica (NIT), que auxilia as empresas na busca de inovações, desde a concepção do projeto até a busca por recursos junto a instituições de fomento.


Nos últimos dez anos promovemos um choque de gestão, com uma reestruturação profunda, estabelecendo um sistema de valorização da profissionalização e modernas ferramentas de governança. Nossos colaboradores, principal ativo da instituição, são contemplados com uma quota anual de recursos para usar em qualificação continuada. Hoje, 65% dos colaboradores do IBTeC têm graduação, pós-graduação, mestrado ou doutorado. Um dos pontos que gostaria de destacar é nossa passagem pela pandemia, sem nenhuma demissão, como forma de valorização da equipe.


Nossos laboratórios são referência em suas áreas de atuação, em todos os segmentos que atendemos. Temos reconhecimento de organismos nacionais e internacionais como instituição certificadora em várias áreas. É através destas alianças que conseguimos compartilhar conhecimentos e enriquecer nossa equipe, nos consolidando cada vez mais para o atendimento das demandas dos nossos associados, clientes e parceiros. Para garantir o sucesso do nosso crescimento salientamos a importância de alianças com entidades que fazem parte desta história, o Sebrae, as universidades, as agências de fomento, bem como governos Municipal, Estadual e Federal, todo um movimento em torno da inovação no Brasil, com o qual temos trabalhado de forma muito ativa.


Nosso posicionamento em relação ao mercado mudou muito nestes últimos dez anos. Hoje nossas ações estão voltadas para a excelência na prestação de serviços, com agilidade, preço e atendimento a cada aspecto das demandas dos nossos clientes. Dentro desta premissa, temos investido fortemente na digitalização de processos, criando o que estamos chamando de IBTeC digital.


O instituto tem trabalhado também na busca de novos nichos de mercado para otimizar seus recursos, priorizando segmentos que têm sinergia com o setor de calçados. O trabalho com foco em soluções customizadas, para atender às necessidades específicas de cada cliente, está no escopo da nossa gestão e deverá continuar recebendo cada vez mais atenção.


O segmento da moda, onde começou nossa história, continua recebendo nossa total atenção. Cada vez mais, os fabricantes nacionais de calçados se tornam fornecedores importantes para mercados de diferentes regiões do mundo, e o IBTeC está com seus laboratórios e sua equipe de técnicos altamente qualificados prontos para apoiar o setor no atendimento às exigências destes mercados. Vivemos um momento em que é a oportunidade de o Brasil ocupar um espaço no cenário internacional, recuperando seu protagonismo.


O IBTeC é cada mais reconhecido. Uma das mais recentes conquistas foi o convite da Fiesp para ocuparmos um assento no Comitê de Moda da maior entidade empresarial do País, onde as maiores lideranças de diferentes segmentos da moda trabalham para estruturar um projeto de desenvolvimento para toda a cadeia produtiva do setor.


O IBTeC oferece ainda a Revista Tecnicouro, que há mais de 40 anos dissemina conhecimento e informação para o setor, e que é uma importante ferramenta de conexão com o mercado.”

Paulo Griebeler - presidente executivo do IBTeC


Depoimentos do Conselho do IBTeC

Primeiramente temos que parabenizar aqueles pioneiros que há 50 anos sentiram e necessidade e, acima de tudo, tiveram a iniciativa de criar o então IBTCCA com o intuito de desenvolver e compartilhar conhecimento para a indústria calçadista. Ao longo destes 50 anos cumprimos nosso papel de concretizar aquele sonho tão distante. Hoje, somos um instituto de referência internacional, sendo ponto de apoio e troca de experiência entre os fabricantes nacionais. Ser presidente do Conselho Deliberativo do IBTeC é muito fácil, pois temos ótimos colegas no Conselho e uma equipe administrativa comprometida e eficientíssima. Nossa referência sempre foi de nos espelharmos nas gestões anteriores, agora nosso maior desafio é pensarmos o IBTeC para os próximos 50 anos nestes dias de muita concorrência e globalização.”

Claudio Chies presidente do Conselho Deliberativo



"É com muita satisfação e com o senso de uma enorme responsabilidade que aceitei o convite para ser membro do Conselho Deliberativo do IBTeC, que é uma instituição fundamental para o aprimoramento dos produtos e o aumento da qualificação, da produtividade e competitividade das empresas, contribuindo ainda com o processo de certificação com base nas normas técnicas. Não poderia, portanto, deixar de parabenizar o instituto, em especial à gestão atual pela forma de conduzir o instituto, bem como todos os gestores e conselheiros anteriores, que ajudaram o IBTeC a chegar onde está, tendo ainda projeções concretas para crescer ainda mais nos próximos anos.”

João Altair dos Santos Conselho Deliberativo


"Pensando o futuro, o setor coureiro-calçadista teve uma feliz iniciativa com apoio da Fiergs para instituir o hoje IBTeC para aprimorar as tecnologias e desenvolver novas para beneficiar os produtores e os produtos da área. O foco do trabalho era voltado ao desenvolvimento de projetos solicitados pela Secretaria de Indústria e Comércio, órgão vinculado ao Ministério da Indústria e Comércio, que lhe dava a sustentabilidade. Com o passar do tempo o instituto começou a ter vida própria. Com a alteração do estatuto foi constituindo um Conselho Deliberativo que tem na presidência o Sr. Claudio Chies, foram convidados o Sr. Paulo Grieberler para presidente executivo e o Sr. Valdir Soldi como vice. A partir dessa iniciativa começou uma nova vida para a instituição, desenvolvendo através de pesquisas novas tecnologias, atingindo assim seus objetivos junto aos seus clientes e seu público. Hoje o IBTeC está consolidado e com orçamento além do satisfatório. Assim tenho satisfação em fazer parte da gestão através do Conselho Deliberativo.”

Ernani Reuter Condelho Deliberativo


Depoimentos das Entidades


"O Centro das Indústrias de Curtumes do Brasil (CICB) e seus associados veem no trabalho do IBTeC um núcleo concentrado de valor inestimável para o setor de couros do Brasil. Sua atuação técnica, de relaciona- mento, pesquisa e promoção do conhecimento fazem a diferença em nossa indústria, entregando inovação, tecnologia e sustentabilidade, com foco em resultados. Com o IBTeC, temos um espaço seguro para o diálogo, o apoio e a evolução no ofício de fazer couros no Brasil, com a excelência de grandes profissionais. A direção do instituto, seus colaboradores e toda rede de clientes, parceiros e amigos podem se orgulhar de terem construído ao longo de 50 anos um referencial em serviços técnicos, com reflexos em todo o mundo. Parabéns.”

José Fernando Bello presidente executivo do CICB


"A Associação Brasileira das Indústrias de Máquinas e Equipamentos para os Setores do Couro, Calçados e Afins (Abrameq) tem 30 anos de história de apoio e estímulo a empresas que fornecem tecnologias para aumentar a competitividade dos setores de couro e de calçados. O IBTeC está completando 50 anos de atuação qualificada de parceria fundamental para as nossas empresas, contribuindo fortemente para o aperfeiçoamento de produtos e de cultura para que a tecnologia da indústria calçadista obtenha cada vez mais ganhos de produtividade e de competitividade. Em nome da nossa entidade, parabenizo a todos que realizam este extraordinário trabalho do IBTeC, manifestando o nosso desejo que ele siga em sua trilha de sucesso.”

André Nodari presidente da Abrameq


"O Rio Grande do Sul se destaca como um fornecedor mundial de couro com alto valor agregado. A existência de instituições de desenvolvimento e disseminação de conhecimento tecnológico para o setor calçadista gaúcho e brasileiro é fundamental neste caminho. O IBTeC é um excelente exemplo de atuação forte e qualificada, com 50 anos de história e inestimáveis serviços prestados. Nós, da Associação das Indústrias de Curtumes do Rio Grande do Sul (AICSul), cumprimentamos a todos que fizeram parte desta trajetória, bem como os que atualmente realizam esta tarefa tão relevante, certos de que este trabalho seguirá com muito êxito.”

Moacir Berger presidente executivo da AICSul


"É com grande alegria que honramos e saudamos os 50 anos do IBTeC, instituto absolutamente fundamental para a cadeia calçadista do Rio Grande do Sul e do Brasil. Foi inquestionavelmente o instrumento que sustentou os avanços tecnológicos desse setor tão relevante para a economia nacional, promovendo a disseminação da inovação, das pesquisas aplicadas do desenvolvimento produtivo das indústrias, tornando-as mais competitivas no mercado nacional e global. Parceiro estratégico do Sebrae RS, vem há muitos anos proporcionando entregas de altíssimo valor e de forte impacto na transformação nas empresas, participando colaborativamente nos projetos Sebrae, que são estruturantes para o encadeamento deste cluster. Parabéns ao IBTeC pela sua reconhecida trajetória e inestimável contribuição.”

Marco Aurélio Copetti gerente Regional Sinos, Cai e Paranhana do Sebrae


"O fato de completar cinco décadas de

"O fato de completar cinco décadas de atuação em um mercado volátil como o brasileiro não é um feito qualquer. Só por este feito, o IBTeC já merece nossas congratulações. Mas faz mais e merece também o nosso agradecimento. Nesses 50 anos, empresas fornecedoras de materiais e insumos tiveram no instituto um apoio fundamental pela competitividade, agregando valor aos nossos produtos. Nossos votos de que os anos completados se multipliquem e que possamos contar por muitos anos com o apoio da entidade.”

Gerson Berwanger presidente da Assintecal (Associação Brasileira de Empresas de Componentes para Couro, Calçados e Artefatos)


"A Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados) parabeniza o IBTeC que, ao longo desses 50 anos, sempre esteve ao lado do setor calçadista brasileiro, gerando desenvolvimento e competitividade por meio dos serviços de excelência prestados. Certamente não tivéssemos entidades fortes e atuantes, caso do instituto, não teríamos hoje o maior cluster de calçados fora da Ásia e que vem crescendo mesmo em meio aos solavancos da macroeconomia mundial. Nossos votos de sucesso e que a parceria com a indústria de calçados fi que ainda mais fortalecida nos próximos anos.”

Haroldo Ferreirapresidente executivo da Abicalçados


Reconhecimento a funcionários e empresas


No ano em que comemora seu 50º aniversário, o IBTeC homenageou os seus funcionários que neste ano completaram aniversários múltiplos de 5 anos na casa, bem como empresas associadas que completaram em 2022 aniversários múltiplos de 5 anos de fundação, além da Alpargatas, com 115 anos.


As empresas agraciadas com troféus foram:

Arcouros - 10 ano

Cepos Mundi - 10 anos

Gama Soluções - 10 anos

Sophia Webster - 10 anos

Supplier Têxtil - 10 anos

Reptec Equipamentos de Segurança e Uniformes - 20 anos

Teknoluvas - 20 anos

Abrameq - 30 anos

Arroyo Ribeiro e Costa Equipamentos de Segurança - 30 anos

HG Calçados - 30 anos

LLV Metais - 30 anos

Retilox - 30 anos

Calçados Vicenza - 30 anos

Espugum - 40 anos

SL Navalhas - 40 anos

Inpol Indústria de Poliuretano - 40 anos

Iturri - 50 anos

Indústria de Equipamentos de Segurança MAC - 50 anos

Master Equipamentos Industriais - 50 anos

Arezzo - 50 anos

Máquinas Kehl - 60 anos

Killing Tintas e Adesivos - 60 anos

Calçados Ramarim - 60 anos

CICB - 65 anos

Vulcabras Calçados e Artigos Esportivos - 70 anos

Alpargatas - 115 anos


Os funcionários homenageados foram:

Graziele Paz Wegermann - 5 anos

Pâmela Teixeira Brandão - 5 anos

Adriana Maria Federhen Specht - 10 anos

Marciele Andressa Lambrecht - 10 anos

Marcela Chaves Wedig - 15 anos

Rudnei Palhano - 15 anos




Comments


bottom of page