Buscar

Revolução em palmilhas de montagem


Uma das novidades da Artecola para levar diferenciais para a indústria de calçados é a Artepalm Eco, produto que representa uma revolução em palmilhas de montagem por ser totalmente sustentável e apresentar uma série de vantagens em desempenho. “A indústria da moda está cada vez mais sensível à sustentabilidade, e nossas inovações levam esse diferencial para qualquer lançamento. Quando uma empresa lança um produto sustentável, essa característica precisa estar presente em toda estrutura daquele produto, não apenas no que está visível. Nós temos tecnologias para transformar os projetos de nossos clientes em sustentabilidade real”, ressalta o presidente executivo, Eduardo Kunst.


A palmilha Artepalm Eco é elaborada em tecnologia brasileira, dentro do conceito Biobased (utilização de fibras naturais em sua formulação), a inovação tem base polimérica e é produzida com mais de 90% de resíduos. Mesmo sendo um produto reciclado, apresenta alta performance com uma série de vantagens. Além de colar melhor, proporcionando resistência à delaminação cinco vezes maior que em palmilhas de celulose, o material processa bem com todas as tecnologias de adesivos. As características da nova palmilha permitem também ótimo acabamento no chanfro e boa formação de quina de corte com perfeito acabamento na fresa e na colocação da alma na montagem. Não perde espessura, apresenta facilidade de conformação e, ao contrário de materiais em celulose, não tem cheiro.


A palmilha é reciclada com as sobras totalmente reaproveitadas na produção de novas palmilhas. Desta forma, o cliente não tem resíduos em sua operação. O material também pode ser aplicado em diferentes construções: simples, montada com reforço colado, com reforço duplo, para sapatos de saltos e/ou esqueleto de sandália ou ainda para estruturar fundo de bolsas, laterais de pastas e divisórias de malas.


Economia Circular


A Artecola trabalha com conceito de Economia Circular, que repensa os ciclos de produtos, saindo do modelo linear de extrair, transformar, descartar da atualidade. O objetivo é atingir um modelo que elimina resíduos e poluição desde o princípio, mantém produtos e materiais em uso e regenera sistemas naturais. Entre os produtos desenvolvidos dentro desta visão, além da Artepalm ECO, estão os laminados produzi- dos em composto com PET. A matéria prima PET é oriunda da coleta seletiva de lixo da comunidade do Vale do Sinos (RS). Envolve o trabalho de uma cooperativa de catadores, gerando renda e reflexos sociais positivos. O material é processado com um fornecedor parceiro, que transforma as garrafas em pó (formato utilizado na produção), gerando novas aplicações para aquilo que até então era apenas resíduo. A estimativa é de que 400 garrafas PET são reaproveitadas (deixam de ir para oceanos e aterros) a cada 1.000 pares de calçados produzidos.