Buscar

Pensamento científico é questão de utilidade pública


A sociedade moderna é cercada por ciência por todos os lados. Mas, curiosamente, o pensar científico é algo bem negligenciado. Para Wendel Pontes, biólogo e professor da Universidade Federal de Pernambuco, o ensino e a difusão da metodologia científica deveriam ser mais cobrados nas faculdades e mais divulgados pela imprensa.


Para ele, esse conhecimento é importante para todos e todas, não só para cientistas. “O modo de pensar científico transcende graduações. É, digamos assim, de utilidade pública, pois dá o direito de a pessoa ter mais instrumentos para avaliar informações”, defende.


Para o entomologista, um dos grandes problemas da contemporaneidade é a ignorância generalizada que se tem a respeito do pensamento e do método científicos. É um desconhecimento que atinge pessoas dos mais variados níveis de renda, escolaridade e ocupação.


Muito dessa situação reflete-se, por exemplo, em atitudes como a de se receitar e medicar-se com remédios sem eficácia comprovada contra a covid-19, baseadas em relatos pessoais e associações indevidas de causa e efeito; desconhecimento do significado de termos usados em contextos científicos (confundir teoria com hipótese, por exemplo) e de falhas e vieses cognitivos característicos da espécie humana.


Pontes critica o modo como, de forma geral, a disciplina de metodologia científica é ministrada nas universidades brasileiras. “Uma vez, vi um comentário na internet que é muito preciso. Um rapaz dizia que nós estamos passando muito tempo ensinando regras da ABNT, enquanto a gente não ensina método científico”, pontua.


Com tal situação em mente, ele passou a conversar com outros colegas docentes para modificar essa realidade. “Hoje, nos cursos de bacharelado de ciências biológicas com ênfase em ambientais da UFPE, nós ensinamos o que é o método científico e como funciona o pensamento científico”, destaca.


Wendel Pontes relata que não é in- comum encontrar até mesmo professores - em todos os níveis - que ainda têm muita dificuldade em entender como funciona o método científico. “É um trabalho que vai demandar muito tempo, algumas décadas”, calcula.


Divulgação científica

Wendel Pontes é autor do livro O que você precisa saber sobre ciência para não passar vergonha (Nupeea), escrito a convite do também professor da UFPE Ulysses Albuquerque.