Buscar

Inovação, tecnologia e funil de vendas para as PMEs na retomada do negócio


Segundo o Serviço Brasileiro e Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), 7% das empresas fecham por falta de lucro, 20% encerram o negócio por falta de capital e quase 50% dos pequenos empresários do Brasil não sabem precisar se têm lucro ou prejuízo.


A Covid-19 pegou todo mundo de surpresa e muitas empresas não estavam preparadas para lidar com uma crise dessa proporção. Quem conseguiu observar rapidamente os sinais de mercado e, assim, aplicar medidas precavidas - como o corte de gastos, renegociação de dívidas e investimento no e-commerce teve um melhor resultado financeiro.


Ter paciência, criatividade, autoconhecimento e capacidade de trabalhar sob pressão são características importantes para quem tem uma empresa. Em tempos de crise, essas habilidades fazem toda a diferença. O autoconhecimento permite ao empresário conhecer melhor seus pontos fortes e, também, os fracos.


Para o especialista em alavancagem de MPEs, Conrado Adolpho, as empresas devem continuar a priorizar o comércio eletrônico. Conrado, que é autor do bestseller Os 8Ps do Marketing Digital, comenta que as vendas de uma empresa devem acontecer como uma sinfonia: suave, contínua, previsível e escalável. “O funil de vendas faz o empreendedor saltar de R$ 10 mil para R$ 100 mil por mês em poucos meses, porque as vendas acontecem no piloto automático, de modo a padronizar e regular os processos para manter o ciclo ativo com resultados mais consistentes e positivos”, assegura.


Segundo Conrado, que promove em suas redes sociais lives todos os dias para quem quer entender e alavancar seu negócio, a ideia é fazer o empresário entender que o funil de vendas vai padronizar a equipe e, como uma sintonia, as vendas irão acontecer com naturalidade e expansão.