Buscar

Inovação, geração de negócios e informação para o setor da moda


Inspiramais recebeu 8 mil visitas online somente nos dois dias em que o evento foi ao vivo


Avançando no formato digital, a segunda edição do Inspiramais 100% online aconteceu ao vivo nos dias 26 e 27 de janeiro. A mostra de soluções em design, inovação e sustentabilidade contou com o acesso de 8 mil visitantes nos dois dias de evento. Foram dezenas de lives nos estandes dos expositores e uma extensa agenda de reuniões virtuais. A novidade é que após esses dois dias ao vivo, a plataforma permaneceu ativa até 26 de fevereiro, possibilitando com isso o acesso de muito mais visitantes interessados nos conteúdos da extensa oferta de palestras e nos lançamentos das empresas expositoras para a realização de negócios e a troca de informações.


A abertura do evento se deu com a apresentação da pesquisa que norteou as inspirações para a criação de materiais lançados nesta edição do Inspiramais. que teve o tema Antídoto como mote para os desenvolvimentos a partir do levantamento de referências elaborado pelo Núcleo de Pesquisa do Inspiramais coordenado por Walter Rodrigues. Explicando que a pesquisa foi contextualizada também pelo cenário global e os reflexos do distanciamento social causado pela pandemia, Walter lembrou que a metodologia da pirâmide de produtos organiza as etapas de trabalho dentro da construção de cada coleção do Inspiramais. “É importante perceber que, quando organizamos a coleção, conseguimos ter um olhar mais assertivo para os produtos a serem desenvolvidos, numa forma mais global de pensá-lo dentro da empresa”, explica. O topo corresponde a 10% da pirâmide (representada atualmente pelo tema Antídoto). Observa o DNA da empresa e analisa as especialidades e o seu reconhecimento no mercado. “O desenvolvimento de produtos nos 10% conta com a ideia de contexto mundial e de observar novas tecnologias para a narrativa da coleção em busca de um produto para um consumidor autoral”, esclarece.


A segunda etapa corresponde a 30% da pirâmide, onde hoje está o tema Free Spirit (dividido em Modern Classicism e New Romantic). Analisa a classificação de produtos, tendências, passarelas, vitrines e viagens. “Existe variação de produto, mas com um olhar para o consumidor multiplicador. As ideias que eram difíceis nos 10% foram transformadas em projetos mais possíveis e começam a acontecer nessa fase”, conta Walter.


Na base da pirâmide (60%) está o tema Sincronia. “Nesse ponto, falamos de ranking, tendências remanescentes, hits da estação, uso de estoques, e, principalmente, de observar moldes consagrados em novas matérias. As coleções de clássicos, commodities e básicos têm seu lugar aqui, observando um consumidor de massa”, finaliza.


Projetos Especiais


À tarde, a designer Flávia Vanelli, curadora do Conexão Criativa e Comercial, apresentou 19 negócios de impacto de inovação contínua. “Esse momento desafiador, que exige reinvenção, combina ciência, design, arte, artesanato e tecnologia, oferecendo ao mercado subsídios para inovar”, destaca Flávia. O projeto contou com empresas como Amadeu, que oferece serviços de consultoria, pesquisa e desenvolvimento, projetos e produtos de moda, materiais sustentáveis, borrachas e emborrachados, pesquisa e desenvolvimento de materiais. Também fez parte do projeto a empresa Apoena, que produz bolsas artesanais feitas a partir da folha do butiá e a Associação Bichos do Mar de Dentro, com produtos artesanais que envolvem pintura em tecido, bordados, feltro e crochê.


Flávia também mostrou o trabalho da Comas, que oferece o serviço de redesign para transformação de estoques inativos de roupas e resíduos têxteis através do Sistema Comas de Upcycling Raiz e o Banco de Tecido, que soluciona a sobra de produção de tecelagens, confecções e ateliês, recolocando este material no mercado através de um sistema misto de troca e venda. Já a Contextura trabalha com estampas digitais exclusivas e texturas artesanais, combinando arte, design e sustentabilidade. A Da Tribu mostrou seus fios e tecidos emborrachados da Amazônia.


Dona Rufina e Aurora trabalham com o resgate da matéria-prima lã e apostam nela como alternativa inovadora, como design de moda, mobiliários, calçadista e automobilístico. O Grupo Canoa produz bolsas e acessórios com reaproveitamento de materiais orgânicos, como escamas de peixe, borrachas recicladas derivadas da indústria automotiva e bolsas de sobras de guarda-chuva. Cerradouro envolve elementos naturais, pedras, galhos e folhas metalizadas.


A Justa Trama desenvolve além de peças de moda com conforto e a qualidade do algodão agroecológico, tecidos e serviços de confecção e estamparia terceirizados de forma justa e ética, fechando e valorizando grandes parcerias. Já a Ladrilã é um grupo de artesãos que confeccionam peças com a lã de ovelha, linha casa e acessórios de moda. A Rato Design Circular transforma resíduos em materiais e produtos com design (aviamentos, enfeites, laminados e produtos realizados com reaproveitamento de plásticos descartados). Bolsas e acessórios femininos produzidos a partir da reciclagem da rede de pescar camarão e escamas de peixe são resultado do trabalho das Redeiras.


O público conheceu também o trabalho de Rita Prossi, que produz biojoias inspiradas na fauna, flora, mitos, lendas e iconografia amazônica. Os processos sustentáveis beneficiam toda a cadeia produtiva que começa em comunidades indígenas do Alto Rio Negro até a distribuição em embalagens feitas à mão. A Trammô é uma marca artesanal e autoral. Produz aviamentos feitos à mão para coleções de moda. Já a Tropicca é uma tecelagem artesanal, que utiliza fibras naturais ou recicladas de sobras da indústria têxtil brasileira. E Van Loureiro Ecodesign + Zanza Crochê & Arte, que recicla plástico pet com macramê e bordado totalmente artesanal.




Preview do Couro


Assim como o +Estampa, o Preview do Couro é um dos projetos especiais que desenvolve a sua coleção em cima do tema da próxima edição do Inspiramais. O designer Marnei Carminatti, curador do projeto, Walter Rodrigues e os consultores do Núcleo de Design do Inspiramais, Daniel Ormoleze e Ramon Oliveira Soares, discutiram sobre os cerca de 30 artigos da coleção inspirada no tema Futureproof, trazendo as inspirações ligadas à pesquisa, a cartela de cores e os detalhes dos materiais desenvolvidos pelos curtumes que participaram desta edição:


Arte da Pele, Couroquímica, Fuga Couros, Leather Labs, Casa Romeu, Sculp Leather by Krumenauer e Tre Anytry.


Além do contexto mercadológico da moda e do design, eles conversaram sobre perspectivas para o setor. As peles desenvolvidas pelo Preview do Couro são expostas nas plataformas do projeto Brazilian Leather, uma parceria entre o Centro das Indústrias de Curtumes do Brasil (CICB) e Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) para o incentivo às exportações de couros.



Sustentabilidade


A sustentabilidade continuou pautando as discussões propostas pelo Inspiramais. A designer Flávia Vanelli, curadora do projeto Conexão Criativa e Comercial, apresentou painel sobre o tema. O evento abriu espaço para projetos de diversas partes do Brasil, que têm um papel de transformação, com potencial de trabalho, artesanato, arte e tecnologia. Para Flávia, trazer à tona temas sensíveis, que impactam as pessoas e o meio ambiente neste ecossistema de negócios de impacto e inovação contínua é primordial: “Chegamos num momento do mundo em que é fundamental conciliarmos a vida humana com a vida do planeta.” O propósito do projeto, que conta com o apoio do Sebrae nacional, é oferecer ao mercado subsídios inovadores para fomentar os negócios.



Design 3D


Uma das novidades desta edição do Inspiramais, o projeto Design 3D, que conta com o apoio do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), apresentou três produtos digitais criados com a participação das empresas Ambiente Verde, Pégasus, Wiva Bordados, Confortin, Usina Têxtil, Primus Têxtil, RR Componentes, Plastiluzzi, A. Mascarello e Maquetec. Joana Dalla Roza, coordenadora do projeto, mostrou os protótipos de um modelo de tênis, sandália e bolsa, numa animação em 3D. Os produtos seguiram a inspiração ligada aos conceitos Naturar e Cotidiano, ligados ao tema Antídoto. “Pensamos no que as empresas tinham de mais interessante para mostrar e como transformar em produto. No digital, trabalhamos com mais cores, texturas, ampliamos as possibilidades para deixar o produto cada vez mais real e mais palpável”, explicou Joana.


Para Walter Rodrigues, o Design 3D possibilita a conexão entre empresas de materiais e empresas de produtos. “Digitalmente, se consegue reproduzir todos os materiais de maneira impactante”, observa. Na avaliação do designer, o digital contribui também para a sustentabilidade. “Essa será uma nova forma de trabalhar. Vamos construir produtos, testar materiais, apresentar em canais digitais, para, depois, colocar em produção”, projeta Walter.




Inspiramais Têxtil


Walter Rodrigues e Rodrigo Zen, curador do projeto Inspiramais Têxtil, fizeram um passeio virtual sobre os materiais desenvolvidos nesta edição do evento, trazendo formas, texturas e proporções, no espaço voltado exclusivamente para o têxtil e a confecção.


A reconexão com a natureza proposta pela narrativa Naturar aparece nas camadas, nos barrados, plissados em bases transparentes e nervuras. As estampas gigantes de flores e o bioprint também aparecem na coleção, que tem ainda o romantismo das imagens desfocadas em diversas bases.


"“A moda é 50% matemática e 50% poesia. Por trás da poesia, há uma geração de milhões de negócios”, observou Walter. O Cotidiano aparece na rugosidade, nos acabamentos plastificados, nas texturas irregulares e na proteção antiviral.


Sustentabilidade, inovação e negócios marcam segundo dia do Inspiramais


O que é o futuro do produto de moda? Qual é a chave da transformação para esse mercado? Esses questionamentos guiaram o desenvolvimento da pesquisa de inspirações que conduziu ao tema da temporada 2022_II. No segundo dia do Inspiramais, mantendo a tradição de antecipar o tema que norteará a próxima edição do evento, Walter Rodrigues, coordenador do Núcleo de Design, apresentou em detalhes o Futureproof. Para Walter, a prova do futuro é ter relevância. Quantum e Hipervisual são as narrativas da próxima temporada. Quantum propõe um olhar poético sobre os acabamentos, inspirados na beleza, cor, brilho e energia dos cristais e gemas preciosas ou interpretando a coexistência simultânea de acabamentos antagônicos como brilho e fosco. Já Hipervisual conecta com o maximalismo, com a inspiração gráfica, e a ancestralidade. “Expressa a oportunidade de inovar e perpetuar saberes, se tornando relevante para o futuro”, analisa Walter. Na cartela de cores, estão o azul, o lilás e o amarelo. “Queremos iluminar o mundo. Entendemos que o futuro precisa ser iluminado.”


Avaliação dos organizadores


Após o período da feira, o Inspiramais manteve o marketplace de soluções em design, inovação e sustentabilidade disponível no mês de fevereiro para a interação entre expositores, compradores e visitantes interessados nas novidades do mercado da moda. Na avaliação do presidente da Associação Brasileira de Empresas de Componentes para Couro, Calçados e Artefatos (Assintecal), Gerson Luis Berwanger, o Inspiramais Digital proporcionou um ambiente importante para apresentação de inspirações para a temporada 2022_I, lançamento de produtos e a ampliação do networking. “Os caminhos são esses. O Inspiramais é uma feira de futuro. Conseguimos fortalecer o relacionamento virtual num primeiro momento, expor produtos, fazer contatos e, como a plataforma segue disponível, teremos o ambiente propício para a realização de negócios”, opina Gerson.


“O couro encontrou no comércio online uma plataforma de grande aceitação por parte dos públicos compradores. Assim, o Inspiramais Digital, e sua construção como marketplace, resultou em negócios, incentivo e informações valiosas para os curtumes participantes”, destacou o presidente executivo do Centro das Indústrias de Curtumes do Brasil (CICB), José Fernando Bello.


Já o presidente da Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit), Fernando Pimentel, destaca que ainda há muitos contatos que serão feitos por meio da plataforma do evento, como as rodadas internacionais. “O Inspiramais tem sido uma ótima vitrine para as empresas de insumos para moda, calçados e mobiliário”, observa.


Para a diretora executiva da Associação Brasileira das Indústrias do Mobiliário (Abimóvel), Cândida Cervieri, o Inspiramais é o reflexo da conjugação de esforços, de potencializar a integração produtiva e, principalmente, de objetivos comuns que consolidam a parceria entre Assintecal, CICB, Abit e Abimóvel, que promovem o evento. “Nossas indústrias se encontram através da moda. Ela nos une e é ela que faz o mundo girar, pois sempre nos espelhamos em alguém, seja no vestir, no calçar, no mobiliar nossas casas, escritórios e outras áreas do bem viver, nas tendências mundiais de comportamento e consumo. Esse 'sentimento de pertencimento' faz da moda um negócio poderoso, rentável e universal”, afirma.