Buscar

Incremento na visitação confirma acerto no formato de três dias da Couromoda 2020


Corredores movimentados, estandes cheios na sua maioria, pedidos sendo tirados em volume como há tempos não se via e muitas prospecções para novas parcerias. Os três dias da Couromoda 2020 foram assim, uma verdadeira imersão intensa no mundo da moda e dos negócios. Assim foi definida a edição da feira que abre o calendário de eventos do setor pelo Portal Couromoda.


Conforme levantamento divulgado pelo Diretor Geral da Couromoda, Jéferson Santos, ao portal, a visitação no evento cresceu 12% sobre a edição do ano passado. “Este novo formato de três dias, mais compacto, foi amplamente aprovado por expositores e visitantes. E os resultados são expressivos, tanto no que diz respeito à presença de profissionais no Expo Center Norte, quando no que se refere às vendas”, comemora Jéferson Santos.


A nova configuração de três dias, que fez sua estreia em 2020, proporcionou uma dinâmica mais intensa nas relações comerciais, sem nunca desconsiderar o olho a olho entre fabricantes, lojista e importadores, fator essencial para bons negócios. A mostra, realizada de 13 a 15 de janeiro, reuniu mais de 2.000 coleções de calçados, bolsas, acessórios e confecções, com foco principal no outono-inverno, mas também com produtos de alto verão para pronta-entrega.

Custo Brasil foi a tônica da abertura da feira

A urgente redução do Custo Brasil, que inclui tributação elevada, problemas logísticos, máquina estatal inchada e burocrática, foi um dos temas principais da abertura oficial da Couromoda. As lideranças calçadistas foram unânimes em reconhecer o momento de retomada da economia brasileira, mas também em apontar os danos causados pelo alto custo de se produzir no Brasil.


Saudando as lideranças, empresários e imprensa, o presidente do grupo Couromoda, Francisco Santos, destacou a expectativa positiva para o evento, em função do momento de retomada na economia brasileira“Talvez essa seja a feira de maior otimismo dos últimos seis anos. Temos sinais promissores, com as vendas do final de ano e a confiança do mercado com as reformas em andamento”, disse. O empresário também agradeceu aos governadores João Dória, de São Paulo, e Eduardo Leite, do Rio Grande do Sul, pela redução das alíquotas de ICMS para calçadistas anunciadas no final do ano passado, para 3,5% e 4%, respectivamente. “Certamente trará mais competitividade para os calçados desses dois importantes estados”, concluiu.


O presidente do Conselho Deliberativo da Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados), Caetano Bianco Neto, fez coro ao presidente da feira no agradecimento, ressaltando que toda a medida que reduza o Custo Brasil é bem-vinda e traz maior competitividade para o setor calçadista. “Hoje, segundo o próprio Governo Federal, o Custo Brasil absorve mais de 20% do PIB brasileiro”, destacou, acrescentando que, no entanto, o poder público parece “estar olhando mais pelo setor”, em nível nacional e também nos estados que estão trabalhando para a redução das alíquotas do ICMS, citando São Paulo e o Rio Grande do Sul. “Certamente, os calçadistas responderão positivamente a essas medidas”, disse.


Os governadores João Dória e Eduardo Leite destacaram a importância dos setores nos respectivos estados, especialmente na geração de empregos e oportunidades. “Vivemos um período difícil recente, em que chegamos a encolher 8% em dois anos. Nós estamos buscando restabelecer a economia brasileira e, para isso, precisamos incentivar quem deseja empreender”, discursou Leite, ressaltando a medida de redução no ICMS estadual, mesmo diante das dificuldades financeiras pelas quais passa o Estado. “O setor calçadista no Rio Grande do Sul emprega mais de 90 mil pessoas, tem um papel social importante, e foi por isso que estudamos formas de ajudar a atividade”, destacou.


Ressaltando a importância da redução do imposto estadual para tornar o calçado paulista mais competitivo, Dória destacou o crescimento histórico do PIB paulista, que deve ser de 2,6% em 2019, mais do que o dobro do crescimento nacional. “Em 2020, a nossa meta é crescer 3,5%, tudo isso apostando em eficiência, inovando em todas as áreas e reduzindo custos de produção”, frisou.


O presidente da Frente Parlamentar Mista do Setor Coureiro-Calçadista no Congresso Nacional, deputado federal Lucas Redecker, enalteceu as medidas dos governos paulista e gaúcho, destacando que a atividade responde rapidamente aos estímulos para produção, especialmente na geração de emprego. Outra pauta importante, que está em discussão na Frente, é a abertura econômica brasileira, objetivo do Governo Federal. Segundo o deputado, o setor não é contra a abertura econômica, mas frisa que ela não pode ser realizada sem a redução do Custo Brasil, sob risco de se perder espaço para os concorrentes do mercado internacional. “Para se ter uma ideia do nosso custo de produção, no Brasil a hora trabalhada na indústria é US$ 4, enquanto em países concorrentes no setor calçadista, como China e Índia, esse valor cai para US$ 2,58 e US$ 0,98, respectivamente.


A próxima edição da Couromoda já tem data definida. Será realizada de 11 a 13 de janeiro de 2021, no Expo Center Norte, na capital paulista.

Entre em contato conosco

Revista Tecnicouro

Rua Araxá, 750 - Bairro Ideal

Novo Hamburgo - RS

CEP 93334-000

(51) 3553-1000

Assine a newsletter