Buscar

BASF reforça sua responsabilidade no uso sustentável da água


No mês em que se comemorou o Dia Mundial da Água (22/3), a Basf destacou as ações realizadas em prol da proteção desse insumo necessário para o nosso dia a dia. A empresa está comprometida com o uso responsável da água ao longo de toda a cadeia de valor e, especialmente, nos locais de captação próximos às unidades de produção. A companhia estabeleceu metas globais para a gestão do recurso em áreas propensas à escassez hídrica até 2030.


A utilização sustentável da água inclui o abastecimento, utilização e reutilização e a devolução para o meio ambiente, além da redução dos impactos. Uma das preocupações que seguem no holofote da organização são as nascentes onde a empresa possui unidades de produção. A companhia, desde 2010, junto com a Secretaria Municipal da Agricultura de Guaratinguetá, desenvolveu o Projeto Produtor de Água. A ação já foi responsável pela recuperação de 54 nascentes, promoveu a compra e instalação de 44 fossas sépticas e o plantio de 73 mil mudas em 98 hectares. Apenas em 2021, o projeto beneficiou 67 produtores rurais, que incorporaram práticas que melhoraram a infiltração da água no solo, reduziram a erosão e o assoreamento de rios e favoreceram a biodiversidade local.


Outra iniciativa neste sentido é a Reserva Suvinil, uma Área de Preservação Permanente (APP) com 30 hectares de Mata Atlântica, localizada dentro do Complexo de Tintas e Vernizes da Basf, em São Bernardo do Campo/ SP. Em estudo realizado pela Fundação Espaço Eco foram encontradas cinco nascentes nessa área.


Soluções de redução do consumo de água


As metas de sustentabilidade da Basf também se estendem a sua cadeia de valor, incluindo seus clientes, que cada vez mais demandam soluções sustentáveis para atender exigências dos mercados.


No caso da produção de tintas e vernizes, as unidades da Basf em São Bernardo do Campo/SP e Jaboatão dos Guararapes/PE registraram desde 2018 até hoje redução de 71 mil m3 de água consumida em função da alteração da tecnologia utilizada para refrigeração dos processos produtivos (de água para ar) e do saneamento realizado no sistema de distribuição da água. Estas ações contribuíram para uma economia de 20% do recurso e aumento da ciência das unidades. Em linhas gerais, a mudança de tecnologia consistiu em eliminar o circuito de água de resfriamento (torre de resfriamento) pela utilização do ar.


Desde 2020, a unidade localizada em Indaiatuba/SP, responsável pela produção de catalisadores automotivos (dispositivo que reduz mais de 90% os poluentes produzidos pelos motores à combustão), também implantou um sistema de recirculação de água que gerou a economia de 242 toneladas do insumo desde então.


Atenta às inovações dispo- níveis no mercado, a empresa investiu em pesquisa e inovou o conceito de lavar roupas, lançando o ativo, Sokalan HP 56, que atua como inibidor na transferência de cores. Além da praticidade, a inovação contribui para a sustentabilidade, diminuindo o consumo de eletricidade, água e tempo, já que permite a limpeza do mesmo volume de roupas em menos ciclos de lavagem.


Segundo estudo da Fundação Espaço ECO (Fee), com a implementação do ativo é possível gerar uma redução de 20% no impacto ambiental com o uso de lava-roupas, diminuindo em 1.100 litros a quantidade de água consumida por ano, por residência. Essa economia anual de água equivale ao consumo diário de cinco pessoas ou 100 ciclos de uma lava-louça. O estudo considerou uma residência com quatro pessoas, que lava uma média de oito quilos de roupas por mês, incluindo brancas, pretas e coloridas.


A Basf está alinhada aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU) 6 e 9, que buscam, respectivamente, assegurar a disponibilidade e a gestão sustentável da água e saneamento para todos, e construir infraestrutura resiliente, promover a industrialização inclusiva e sus- tentável, e fomentar a inovação.