Buscar

A Nova Fábrica de Calçados

A inteligência da simultaneidade operacional orientada pelos fundamentos da fábrica 4.0

CAPÍTULO 5/6 - A PRODUÇÃO SIMULTÂNEA E OS FUNDAMENTOS DA INDÚSTRIA 4.0 INTEGRADOS SISTEMICAMENTE: A COMPETITIVIDADE DA NOVA FÁBRICA DE CALÇADOS (NFC) ATINGINDO SEUS MAIS ELEVADOS NÍVEIS

MS Eng. Fernando Oscar Geib

1 - Sistemas de produção com processos operacionais integrados pela simultaneidade: Como os fundamentos da Indústria 4.0 estabilizam os processos produtivos

O mundo em que vivemos identifica-se como um ambiente de consumo de tempo, nem sempre de forma construtiva. A internet gera um encurtamento do tempo e a aceleração dos atendimentos das vontades e dos desejos dos consumidores e dos mercados. E os fornecedores estão, portanto, sujeitos aos processos de fabricação integrada de bens e de serviços. Os consumidores “cuidam” da parte essencial - a satisfação - pelos bens oferecidos à sociedade. Fornecedores e consumidores estruturam processo integrado de satisfação da sociedade como um todo. Portanto, tem-se um grande Sistema Integrado de Produção da Satisfação da sociedade. A Nova Fábrica de Calçados (NFC) se tornará vitoriosa se os consumidores dos seus calçados fizerem parte do seu processo produtivo. Fábrica e consumidores estruturam, portanto, um Processo Integrado de Atendimentos dos consumidores e dos mercados.


Produtores e consumidores estruturam um Sistema Integrado de Fornecimentos e de Aquisições. Qualquer falha neste sistema gera desequilíbrios, que se refletirão na cadeia de satisfação dos consumidores.


Os gestares da Nova Fábrica de Calçados (NFC) são como uma espécie de malabaristas de um circo de atendimento de necessidades dos mercados. A integração harmônica dos processos de geração e de entrega é o grande desafio desta sapataria em descrição. Estas colocações de operacionalidade organizacional têm igualmente a capacidade de consolidar a operacionalidade da Indústria 4.0.

2 - Processos de Produção Celular e Integrada: produção construtiva e efetiva

A Produção Integrada é operacionalizada por máquinas, equipamentos, pessoas - gestores e operadores – e por demais recursos produtivos, que estruturam e sustentam o fundamento da integração dos processos pela simultaneidade das operações produtivas, com elevados níveis de efetividade produtiva.


A simultaneidade é a estratégia operacional da produção dos calçados.

A Nova Fábrica de Calçados (NFC) tem um propósito essencial que é o de sustentar e consolidar o fundamento da Simultaneidade Operacional, como já foi amplamente descrito em capítulos anteriores. Surge então a pergunta: Como assegurar a continuidade deste fundamento operacional essencial da fábrica? A resposta é: pelo fundamento organizacional da Indústria 4.0.


Os fundamentos da Indústria 4.0 têm a missão de criar uma “doutrina” estruturada e consolidada de gestão dos processos produtivos ente os quais está a Simultaneidade. Observação importante: quando temos uma estrutura de produção simultânea, esta estrutura produtiva é tradicionalmente chamada ou identificada como uma “linha de produção”, mesmo que o sistema produtivo não seja como uma reta.


As vantagens da produção simultâneas são:

- Flexibilidade operacional;

- Peças semelhantes recebem tratamento operacional semelhante, garantindo qualidade igual a todos os calçados produzidos;

- Calçados semelhantes recebem tratamento operacional igual;

- Menor tempo de produção em função das redes de produção simultânea.


Para programar as estruturas em rede é necessário que os gestores e operadores da fábrica observem e sejam rígidos aos fundamentos estabelecidos.


I - Todos os operadores da produção dos calçados devem estar atentos às informações do andamento da produção dos calçados. Esta regra é essencial, pois o fundamento da Simultaneidade exige o máximo de atenção.

II - Mínima distância entre as equipes de produção: esta diretriz é essencial, e os operadores devem segui-la rigidamente, pois o fundamento da Simultaneidade exige precisão operacional dos processos produtivos.

III - Deve haver uma precisa comunicação entre os próprios operadores e entre os operadores e os gestores. A Produção Simultânea não aceita a quebra da Simultaneidade dos processos produtivos.

IV - Estoques intermediários exigem controle, ou seja, atenção dos operadores da produção. Estoques intermediários devem ser um recurso excepcional. O foco dos operadores é a produção. A produção simultânea pressupõe uma integração dos operadores, pois a simultaneidade das operações exige atenção e concentração.

V - Um só operador controla a entrada e saída dos materiais destinados aos processos produtivos. O sincronismo da produção simultânea exige a atenção dos operadores das estruturas produtivas. Nos sistemas de produção linear e sequencial não há uma preocupação com a integração sistêmica da produção.

VI - A movimentação dos componentes - cabedais, palmilhas e solados - deve ser sistêmica, pois a simultaneidade requer precisão na movimentação destes componentes que geram os calçados. Não é demasia repetir que a simultaneidade é o fundamento do processo de produção integrada.

VII - Gestão de estoques é um processo de igual importância como os processos produtivos. É uma ameaça à sustentabilidade de uma organização produtora de bens pensar que os materiais estocados em almoxarifados não merecem os cuidados semelhantes aos aplicados nos processos produtivos. É comum as organizações valorizarem o que é visível - os produtos manufaturados - e esquecerem o que está nos almoxarifados.

VIII - Gestão dos almoxarifados é também uma tarefa orientada pelos fundamentos da Indústria 4.0. Os almoxarifados devem ter “paredes de vidro” para que todos os operadores da fábrica possam ver os matriciais estocados e, assim, facilitar o seu acesso com rapidez e precisão.

IX - Um só operador deve ser o responsável pelo controle da movimentação das máquinas e equipamentos de produção. Este operador-controlador é o responsável pela condição da operacionalidade das máquinas em sua condição 100% de efetividade. Revisões e testes devem ser aplicados às máquinas para assegurar a sua efetividade quando estiverem nas linhas de produção. A negligência neste controle já mostrou ser altamente danosa para a competitividade das organizações.


Um só operador controla a saída e a entrada de materiais que estão relacionados aos processos de produção.


Sistemas computacionais dão a rapidez e a precisão desejados. Estes comportamentos estão alinhados com os fundamentos de Indústria 4.0.


Observação: a metodologia da Indústria 4.0 deve ser entendida e adotada como um manual para a Nova Fábrica de Calçados (NFC). Estas regras e diretrizes colocadas pelos fundamentos da Indústria 4.0 permitem que as organizações sapateiras possam compreender os seus resultados e assim aperfeiçoar seus sistemas produtivos.


As sapateiras mais efetivas e de visão avançada assumirão a liderança em seus mercados de consumo, pois estas saberão aplicar os fundamentos da Indústria 4.0 mais efetivamente.

Entre em contato conosco

Revista Tecnicouro

Rua Araxá, 750 - Bairro Ideal

Novo Hamburgo - RS

CEP 93334-000

(51) 3553-1000

Assine a newsletter