Edição 315 - Nov/Dez 2019

IBTeC cria SELO FUNCIONAL para produtos inclusivos

LEIA A EDIÇÃO COMPLETA

Os brasileiros que vivem mais e melhor chegaram este ano ao número de 31,5 milhões de pessoas com mais de sessenta anos. A expectativa de vida ao nascer hoje de 76,5 anos cresce em três meses anualmente. As notícias boas estão só começando pois as projeções do IBGE para quem tem hoje 60 anos são bem maiores. Um sexagenário tem em 2019 uma expectativa média de vida de 83 anos se for mulher e 80 anos se for homem. Bem maior que a expectativa ao nascer deste ano.

Se por um lado conquistamos os avanços na área da medicina e nas mudanças no estilo de vida desta população, que são os dois principais responsáveis por esta mudança no perfil da longevidade no mundo, por outro temos ainda pouca evolução quando o assunto é a adaptação do dia a dia às necessidades de pessoas mais velhas. O país já tem 15,3% da população com mais de sessenta anos sendo que muitas delas têm um comportamento e autoimagem bem distante da idade cronológica. Um fato, porém, é inevitável - o corpo envelhece e as questões naturais como perda de força muscular nos membros e articulação das mãos e dedos, assim como as leves alterações de equilíbrio - fragilidades que não são consideradas no desenvolvimento de muitos produtos, equipamentos de uso doméstico e principalmente embalagens.

Para tornar os produtos do dia a dia mais inclusivos, o Instituto Brasileiro de Tecnologia do Couro, Calçado e Artefatos (IBTeC) se uniu a instituições especializadas em analisar e acompanhar o envelhecimento do ser humano e desenvolveu metodologias e testes para quantificar a funcionalidade dos produtos. O desenvolvimento desses parâmetros contribui para as necessidades decorrentes do envelhecimento. Se os resultados dos testes dos produtos alcançarem um percentual das necessidades de funcionalidade, este recebe o Selo Funcional.

A funcionalidade do produto está diretamente relacionada à praticidade, facilidade no uso, redução de riscos e bem-estar. Atributos estes não encontrados no mercado por 85% das pessoas com 60 anos ou mais que se declaram insatisfeitas com a usabilidade de produtos, embalagens e equipamentos variados.

O lançamento oficial do Selo de Funcionalidade foi realizado na Longevidade Expo+Fórum, que contou com marcas, produtos, serviços, profissionais e público interessado, realizado de 29 de setembro a 1º de outubro, em São Paulo/SP.

A ideia não é criar embalagens ou conformações de produtos exclusivamente para os idosos, salienta o coordenador do Núcleo de Biomecânica do IBTeC, o Dr. Rudnei Palhano. "O que nós queremos é auxiliar as empresas a construírem soluções que incluam a geração prateada - ou seja, produtos que sejam de fácil manuseio para todas as idades, inclusive para quem atingiu a terceira idade", explica.

Para as empresas e suas marcas, o Selo Funcional é a forma de diferenciar-se pelo foco no manuseio simplificado, certificado através da avaliação de profissionais de diferentes áreas, com apoio técnico-científico de instituições de renome e valoradas por um grupo de avaliadores exigentes e experientes. O selo foi idealizado em uma parceria entre o IBTeC com o Instituto Moriguchi, Geriatria e Clínica Senger e da consultoria SeniorLab.

O selo é a forma de posicionar produtos que tenham sido comprovadamente idealizados para ser de fácil manuseio, e com ele os usuários poderão identificar com mais clareza e facilidade os produtos que levam comodidade, segurança e facilidade ao seu dia a dia.

De acordo com o Dr. Rudnei Palhano, a exemplo do que já acontece com a certificação Conforto conferida aos calçados brasileiros pela instituição, a certificação de funcionalidade também é por adesão voluntária, diferenciando empresas, agregando valor aos produtos tudo para auxiliar o usuário na escolha do produto mais adequado. O Selo Funcional é aplicado a diversos segmentos de produtos. Para maiores informações através do e-mail funcional@ibtec.org.br.

Realidade brasileira

O Brasil tem hoje em torno de 15,3% da sua população com 60 anos ou mais - ou seja, são 31,5 milhões de pessoas. Os brasileiros com mais de 60 anos representam a população de toda a região sul - Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Em 2019 o Brasil tem mais mulheres com idade acima de 60 anos que meninas de zero a nove anos de idade.

Um dado econômico importante é que 20% do consumo de bens de consumo e serviços familiares são realizados por pessoas com 60 anos ou mais. No ano de 2019, esta faixa etária da população terá renda total de R$ 940 bilhões, ou 13,82% do PIB brasileiro, que em 2019 foi de R$ 6,8 trilhões, e respondem com a renda principal ou única em 22% dos lares brasileiros.

Leia essa matéria na íntegra clicando na edição completa (páginas 56 e 57).


Edições Anteriores
315
Nov/Dez
2019
314
Set/Out
2019
313
Jul/Ago
2019
312
Mai/Jun
2019
311
Mar/Abr
2019
310
Jan/Fev
2019
309
Nov/Dez
2018
308
Set/Out
2018