Edição 303 - Nov/Dez 2017

Inovação Colaborativa e Indústria
4.0 em pauta

LEIA A EDIÇÃO COMPLETA

O 3º Fórum IBTeC de Inovação fechou a Semana do Calçado 2017 trazendo palestras sobre a inovação colaborativa e a indústria 4.0 e um debate organizado pelo Instituto Brasileiro de Tecnologia do Couro, Calçado e Artefatos (IBTeC) e o Grupo Editorial Sinos.

Para Felipe Scherer, diretor da Innoscience Consultoria, na economia altamente interligada as empresas não são mais reconhecidas individualmente por sua qualidade de inovadora, mas sim por estarem inseridas em uma cadeia de valor inovadora e colaborativa. Ele apresentou casos bem sucedidos a partir dessa experiência. Na Alphaville Urbanismo, por exemplo, a inovação teve a participação dos fornecedores, resultando em novidades relacionadas tanto a tecnologias quanto a materiais para a construção. Em outro exemplo, a cooperativa de funcionários do Banrisul (Banricoop) usa a colaboração com startups para apoiar seus associados. O palestrante citou ainda o exemplo da Braskem Labs, também com colaboração de startups, e o projeto da Coca-Cola, que, a partir da colaboração dos consumidores finais, implantou seu projeto de embalagem sustentável com o uso de garrafas retornáveis.

De acordo com a sua avaliação, os principais desafios são a falta de clareza sobre o que realmente se pretende, e também situações em que a empresa incubadora tenta interferir na startup para que esta passe a trabalhar como ela própria já está acostumada. "O que se busca é justamente o contrário, para que se encontre novas soluções explorando caminhos diferentes", esclareceu.

Scherer considerou que as empresas deveriam estar mais preocupadas em como incorporar as tecnologias disponíveis no seu negócio para promover o desenvolvimento de forma autônoma. "Para qualquer problema que se imagine, em algum lugar alguém já está tentando desenvolver uma solução. Portanto é preciso estar atento e buscar o parceiro para implantar as inovações de que necessitamos", alertou.

Ele defende que é preciso deixar de pensar em empresa incubadora e sim voltar o foco para a cadeia de valor inovadora, e citou como exemplo a maratona de desafio tecnológico lançada pelo IBTeC no primeiro dia da Semana do Calçado, quando 36 participantes formaram 13 equipes para, em poucas horas, desenvolverem soluções a demandas apresentadas.

"Buscar parceiros amplia a capacidade de encontrar soluções. Agindo sozinhos, podemos levar até dois anos ou mais para encontrarmos as respostas desejadas, o problema é que nesse período novas demandas surgem. Então o mais lógico é mesmo formar parcerias com quem já têm o conhecimento necessário", considerou.

Independentemente do resultado obtido, a troca de conhecimento entre as empresas que se interligam em prol da inovação provoca uma verdadeira mudança cultural levando essas organizações a procurar novas maneiras de produzir cada vez mais, melhor e mais barato.

O palestrante ainda comentou sobre projetos desenvolvidos pela Innoscience para o Polo de São João Batista/SC, com 12 empresas fornecedoras trabalhando de forma colaborativa para o desenvolvimento de componentes como enfeites impressos na tecnologia 3D, solados e palmilhas para a montagem de um calçado.


Edições Anteriores
303
Nov/Dez
2017
302
Set/Out
2017
301
Jul/Ago
2017
300
Mai/Jun
2017
299
Mar/Abr
2017
298
Jan/Fev
2017
297
Nov/Dez
2016
296
Set/Out
2016